É preocupante ver que mais de um terço das vagas abertas no último concurso para contratação de médicos de família ficaram desertas, deixando mais distante o compromisso do Governo de atingir a cobertura plena naquela especialidade durante a legislatura. Mas, mais que a crueza dos números, indigna saber que muitos concidadãos para aceder a cuidados de saúde vão continuar a ter de recorrer a um qualquer serviço de urgência de um hospital, por doenças que podiam ser prevenidas ou tratadas por…