Itens filtrados por data: quarta-feira, 29 abril 2020

Face aos resultados obtidos até hoje no combate sanitário ao COVID-19, todos concordaremos que a primeira batalha foi ganha. Conseguimos conter a epidemia trazendo o número mágico R0 (tradutor da contagiosidade do vírus) de um valor superior a 2 para próximo de 1, mantendo uma taxa de ocupação de camas em cuidados intensivos de cerca de 50%.

Atendendo à agressividade do agente em causa, traduzida na elevada morbimortalidade observada em países vizinhos, temiam-se resultados idênticos entre nós. Porém, a sagacidade da inteligência científica nacional e a pronta resposta política, aliadas e essa espécie de general Wellington que é o nosso Serviço Nacional de Saúde, souberam encontrar a estratégia e as respostas, mais adequadas a levar de vencida o inimigo nesta primeira refrega.

Porém, tenhamos a noção que ganhámos a batalha, mas ainda não a guerra. O inimigo continua por aí e se lhe dermos o flanco pode voltar a atacar em força. Para o evitar, temos de saber conciliar as medidas de isolamento social e a necessidade de abertura para nos refazermos economicamente, mantendo o Serviço Nacional de Saúde preparado para o que der e vier.

Não sabemos se estamos no rescaldo da primeira ou se travámos vitoriosos a última batalha, sabemos sim da nossa determinação em vencer a guerra, nem que seja à terceira como diz o Povo.

Jorge Almeida  

Médico Cardiologista

Publicado em Artigos de opinião
quarta-feira, 29 abril 2020 15:45

inquietação (*): por RA

Reporte da situação em 29 de abril – a partir de dados da DGS

https://covid19.min-saude.pt/wp-content/uploads/2020/04/58_DGS_boletim_20200429.pdf

O número diário de novos casos sobe e desce, apontando para uma contagiosidade controlada, enquanto o número diário de óbitos mantém-se estável:

 A diferença entre casos confirmados e “ativos” vai aumentando, mas a curva de “ativos” ainda não se pode considerar achatada (o que é chato):

 

Óbitos desde 16/mar: média – 21,6; mediana – 24; desvio padrão – 10,9; máximo – 37

A letalidade também varia conforme as regiões:

A mortalidade e letalidade por idade e género diz que há mais idosas afetadas mas a Covid é mais perigosa nos idosos.

top 5 dos municípios pouco se alterou:

Posição dos municípios - n.º de casos e casos por 1000 habitantes

* Pordata, 2018

(*) “Inquietação” é uma música de José Mário Branco

 

 

 

Publicado em Outra informação
quarta-feira, 29 abril 2020 15:10

Common Motion on SARS-CoV-2 (COVID-19) Outbreak

Consultar documento em anexo

Publicado em Outra informação

Aviso n.º 7171/2020 - Diário da República n.º 84/2020, Série II de 2020-04-29 132720765

Instituto Português de Oncologia do Porto Francisco Gentil, E. P. E.

Procedimento concursal (comum) para recrutamento de um profissional para a categoria de assistente de medicina física e de reabilitação da carreira médica - área hospitalar - contrato individual de trabalho a termo resolutivo incerto

Publicado em Concursos

Pesquisar por texto

Informação por datas

« Outubro 2020 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31  
 
 
 

EU privacy directive