Não ao tremendismo! artigo de Jorge Almeida

quarta-feira, 06 maio 2020 14:39

Dizia-me o doente temeroso: Posso mandar o resultado do exame em pdf mas ao Hospital não
vou!
Pergunta-se, a quem serve o tremendismo? Assustam-se as pessoas com o perigo do Covid
clamando: adiem-se consultas, cirurgias e exames que não sejam absolutamente necessários
para nos concentramos no combate ao Covid! Face à devastação causada pela epidemia
noutros países, utentes e profissionais de Saúde entendem a premência respondendo com
prontidão e sucesso (diga-se) à mensagem, cumprindo com rigor o que lhes foi pedido. Findo o
período crítico, alerta-se: estão a morrer doentes com outras patologias por deixarem de ser
atendidos nos serviços de saúde, avisa-se para que regressem prontamente para lhes ser
prestada a assistência devida …
Claro está que o cidadão se há de sentir como o tolo no meio da ponte. E vou onde, como e
quando e com que segurança? Os profissionais, não menos assustados, interrogam-se: Como
vou observar e tratar os meus doentes com segurança?
Todos, doentes e profissionais de saúde, já perceberam que vivemos tempos novos. Que há
que encontrar novas formas de nos cuidarmos agora e no futuro. São tempos de incerteza que
requerem ponderação e diálogo tendo em vista encontrar as melhores soluções em Saúde. Há
que ter a noção que atitudes e discursos bipolares só servem para paralisar e gerar
comportamentos irracionais.

Jorge Almeida
Médico Cardiologista

 
 
 

EU privacy directive